© 2016 por Alessandra Rigazzo. Criado com Wix.com

Posts Recentes

Filme “Mamãe - operação balada” – pitacos de um pai

19.2.2017

No fim de semana, minha esposa, meu filho mais velho e eu assistimos à comedia “Mamãe operação balada” (Moms' Night Out). Rimos bastante com as situações inusitadas... Foi um bom tempo de diversão em família.

 

O filme mostra a tentativa de algumas mães (já quase enlouquecidas por sua missão) de tirar uma noite para se divertirem e relaxarem, enquanto os pais cuidarão das crianças. Claro que não acontece nem uma coisa nem outra... Acontecem as mais loucas situações e, de uma forma divertida, o filme trata das frustrações de pais e, principalmente, de mães, que não conseguem atingir o ideal de família perfeita com que sonharam.

 

No domingo pela manhã, em nosso tempo de reflexão sobre a Bíblia, propus conversarmos um pouco sobre as aflições da vida, usando as percepções sobre o filme e o texto de João 16:33, no qual Jesus afirma a seus discípulos que eles passariam por aflições neste mundo.

 

Durante esse tempo, coloquei para a família uma percepção que tenho tido sobre pais e mães. 

 

Não tenho formação ou competência para afirmar que tal percepção é correta. Na verdade, ela é apenas resultado de observação e, por isso, trata-se de um pitaco.

 

Acho que a maioria das pessoas concorda que a tarefa de criar e educar filhos não é simples. 

 

Não existe uma “receita de bolo” para isso, até porque cada criança é única, e as frustrações são inevitáveis. 

 

Pois bem, dentro dessa missão que recebemos, tenho a percepção e, acho que o filme retrata isso muito bem, que as mães têm uma tendência a exagerar ou supervalorizar os problemas e os pais tem a tendência de minimizar ou desprezar problemas.

 

Em outras palavras, geralmente, enquanto as mães tendem a enxergar mil e um problemas na formação, no desenvolvimento e na criação de seus pequenos, colocando uma pressão enorme sobre si mesmas na tentativa de solucioná-los, os pais tendem a não enxergar problema nenhum e a terem um inércia gigantesca para se moverem e tomarem atitudes.

 

Ressalto que é apenas uma percepção, um pitaco. Você pode concordar ou não. Supondo que concorde, acho necessário buscar um equilíbrio nessa história. 

 

Para isso, é fundamental a participação ativa de ambos, o que significa que os homens terão que ouvir, refletir e “colocar a mão na massa”.

 

Sempre que minha esposa propõe uma conversa sobre a educação de nossos filhos, colocando para fora suas frustrações e sentimentos, tenho o cuidado de não minimizar as situações. 

 

Acho que uma boa conversa, sincera e franca, nos permite olhar com mais clareza, percebendo que pontos devem ser atacados e também aquilo que “dá para deixar passar”.

 

Não é ciência exata, não há fórmulas mágicas. Portanto, cabe a pais e mães buscar e construir juntos! 

 

A tarefa é árdua, mas é gratificante e cheia de alegrias também!

 

****

Marido da Alessandra, pai de dois meninos.

Texto escrito em 20/07/2015

 

Aqui você pode assistir ao trailler do filme.

 

Compartilhar no Facebook
Twitter
Curtir
Please reload

Recentes

December 9, 2018

August 24, 2018

Please reload

Arquivo
Please reload

  • Facebook Basic Square
  • Snapchat Social Icon
  • Instagram Social Icon
  • Twitter Basic Square

Alessandra Rigazzo

Intencional até nas pequenas coisas